A privação do sono e suas implicações na saúde

13 Mar 2023

O sono tem várias funções fundamentais para a nossa vida como o crescimento, reparação e regulação celular, a regulação imunitária, a conservação de energia, a aprendizagem e memória, a performance física e cognitiva, a regulação do humor e a saúde física.

Quando falamos em dormir bem, referimo-nos à quantidade e à qualidade do sono.

Os bebés e as crianças (até aos 4/5 anos) precisam de dormir durante a noite e durante o dia, chama-se sono polifásico. A partir dessa idade, deixam de existir sestas diurnas e o sono é monofásico.

Um recém nascido necessita de 14 a 17 horas de sono por dia. As crianças em idade pré escolar necessitam entre 10 a 13 horas de sono por dia, ao passo que as crianças em idade escolar só precisam de 9 a 11 horas por dia.

Um adulto dorme entre 7 a 9 horas por dia e a partir dos 65 anos a necessidade de sono diminui, podendo ir até as 6 horas por dia.

Quando não dormimos o suficiente estamos em privação de sono. Esta é considerada uma epidemia a nível mundial e tem muitas consequências negativas, que se reflectem tanto no período de vigília, como nos períodos de sono, diminuindo a sua qualidade.

A privação de sono manifesta-se de forma diferente nos adultos e nas crianças, sendo a principal diferença o nível de actividade: adultos sentem-se sonolentos e as crianças ficam hiperactivas. Outros sinais de alerta podem incluir queixas cognitivas (atenção, memória, concentração) e alterações de humor (irritabilidade, impulsividade, ansiedade). Os adultos em privação de sono tendem a tomar decisões mais arriscadas, o que não é bom se tem ao seu cargo uma empresa, uma equipa ou uma família. As crianças tendem a fazer mais birras, evidenciando assim desregulação emocional.

Para que o sono aconteça devemos reservar-lhe no nosso dia o tempo necessário e adequado, bem como boas condições ambientais no quarto, como luz, temperatura e barulho.

O sono deverá ser reparador, ou seja, ele deve repor os níveis de energia e revigorar-nos física e psicologicamente. Se acha que dorme o suficiente, mas mesmo assim não se sente descansado e revigorado de manhã, deve prestar atenção ao seu sono.

Um técnico de saúde especializado em sono poderá ajudá-lo a compreender o que se passa com o seu sono e contribuir para a sua melhoria. A intervenção em sono é sempre multidisciplinar, podendo envolver várias áreas como a psicologia, neurologia, psiquiatria, pneumologia, osteopatia ou medicina dentária.

Cuidar do seu sono é cuidar da vida.

Psicóloga Catarina Mestre 16434 | Ordem dos Psicólogos