As assimetrias do crânio do bebé e os cuidados a ter em casa

A Osteopatia Pediátrica tem como objetivos melhorar a mobilidade das estruturas do corpo e diminuir as tensões / compressões resultantes da gravidez e/ou parto. Por este motivo, todos os bebés deveriam ter a possibilidade de serem vistos por um Osteopata nos primeiros dias de vida.

Um dos princípios da Osteopatia é “A estrutura governa a função”, ou seja, se as estruturas (as diferentes partes do corpo: ossos, músculos, fáscias, vísceras, glândulas) tiverem uma boa mobilidade, as diferentes funções ocorrem com normalidade. No entanto, muitas  vezes, e por diversos motivos, as estruturas não têm mobilidade ou têm menos mobilidade que o expectável. Por exemplo, maior tensão na pélvis do bebé pode levar a maior tensão nas estruturas envolventes, uma delas o intestino, e condicionar o funcionamento do mesmo.

Uma das estruturas com maior relevância para a Osteopatia é o crânio. O crânio do bebé é muito adaptável, permitindo, deste modo, que o mesmo se ajuste ao canal de parto e à pélvis da mãe. Durante o parto, o crânio do bebé é submetido a grandes forças de compressão que podem estar na origem de algumas deformações e assimetrias cranianas. Esta capacidade de adaptação mantém-se durante a infância de forma a permitir o crescimento do crânio ao longo do desenvolvimento do bebé.

No entanto, esta característica também contribui para uma maior predisposição para deformações no crânio, em situações de compressões mantidas. As assimetrias do crânio não são a causa de problemas médicos no futuro. No entanto, podem estar associadas a uma assimetria vertebral / escoliose e podem contribuir para problemáticas de ouvido (p.e. otites de repetição), dores de cabeça, problemas na mandíbula (ATM), alterações dentárias, problemas oculares, entre outros.

Por este motivo, é de extrema importância que os pais e cuidadores tenham especial atenção aos posicionamentos do bebé nos primeiros meses de vida. A alternância de posicionamentos é sempre uma boa estratégia a adotar, uma vez que uma pressão constante, principalmente quando deitados de barriga para cima (ou seja, na parte de trás da cabeça) pode promover um achatamento na zona posterior do crânio.

Algumas dicas para prevenir e/ou melhorar as assimetrias do crânio são:

• Diminuir o tempo em ovos de transporte, espreguiçadeiras e portadores de bebé

• Incentivar o bebé a olhar para ambos os lados, colocando os brinquedos mais lateralizados.

• Alternar o posicionamento no berço, incentivando o bebé a olhar para o lado contrário, em caso de achatamento.

• Privilegiar pequenos momentos na posição de barriga para baixo (Tummy Time), sempre com supervisão. Esta é uma forma de evitar a pressão na parte de trás da cabeça, com o bónus de ajudar a melhorar o controlo da cabeça e do pescoço.

A osteopatia é indicada desde o nascimento, sendo que quanto mais precoce for o tratamento, melhor serão os resultados.

Fisioterapeuta e Osteopata
Teresa Carvalho
619 | Ordem dos Fisioterapeutas

Cofinanciado por: