Um Natal a precisar do que há de mais precioso

Sabemos que as tradições e os rituais ajudam a construir ao longo dos anos e das gerações, a identidade de cada Família. Com o passar do tempo vamos descobrindo a noção de quem somos como Família, o que mais gostamos e o que não funciona para nós.

O Natal é um dos momentos em que tudo isto ganha uma importância muito significativa e num ano como este em que temos lidado com o desafio de muitas das nossas tradições serem alteradas e adiadas, o Natal pode tornar-se num momento fundamental e na mesma medida desafiante.

O meu desejo é que tenhamos força e coragem para encontrar novos significados nesta Época Natalícia que nos permitam viver a adversidade com um bocadinho mais de calor no coração. Assim, deixo-lhe três sugestões de boas práticas para o nosso bem-estar e saúde psicológica:

Pratique a Gratidão – Sugiro que da mesma maneira que treinamos e ganhamos novos hábitos, possamos integrar a Gratidão nos nossos dias. Já pensou como seria bom se no Jantar de Véspera de Natal, pudesse partilhar uma coisa pela qual se sente grato na sua vida? E se depois cada um dos presentes fizesse o mesmo? E se está a pensar nas pessoas com quem não poderá estar fisicamente, porque não enviar numa carta ou num email as razões pelas quais se sente grato por ter essa pessoa na sua vida ainda que neste ano atípico não possam estar juntos?!

Pratique a Auto-Compaixão – Não torça já o nariz e permita-se ler a minha proposta… A Auto-compaixão não é “eu ter pena de mim”, achando-me uma “coitadinha que está enredada nas dificuldades”. É sim, um entendimento profundo de que estes momentos que temos vivido nos últimos tempos são de facto, e sem qualquer sombra de dúvida, difíceis e exigentes para TODOS…Incluindo para nós próprios! Desta forma, quando estiver a cuidar dos outros, a minha sugestão é que se possa incluir na lista de pessoas a cuidar. Não se deixe fora desta lista de amor e apoio. Pergunte-se “Do que é que eu realmente preciso?”.

E se ainda assim, continuar a ser demasiado difícil não se iniba em procurar ajuda e acompanhamento profissional, para o apoiar neste processo. Saber procurar ajuda é também uma forma de cuidar de si.

Pratique a Criatividade – Sugiro que possa recordar-se que o Ser Humano tem uma enorme capacidade de se adaptar e de se reinventar e que se por um lado é fundamental manter aspetos que nos dêem estabilidade, estrutura e segurança emocional também é verdade que pode ser muito interessante dar espaço à Criatividade e criar novos rituais, jogos, brincadeiras em família (com a que está próxima e com a que ficou este ano distante).

Este Natal pode até ser diferente em muitos aspetos mas a seu tempo, voltaremos aos nossos ritmos, aos nossos encontros e enquanto esse tempo não chega…Celebremos o Natal da melhor forma que conseguirmos e celebremos novamente o Natal a cada pequeno encontro que tivermos no próximo ano…E se não seria divertido ter Natal em Março, Agosto ou Outubro?! Porque o Natal precisa do que há de mais precioso…Tempo, Presença e Amor…Em qualquer altura, sob qualquer forma!

 

Feliz Natal.

Fisio S. Brás – Clínica de Medicina Física e Reabilitação

Maria Rita Pinhal

Psicóloga Clínica

Especialidade de Psicologia Clínica e da Saúde

Cédula Profissional Nº 16752

Cofinanciado por: